Segunda-feira, 23 de Julho de 2007

A queca ideal...

Quanto tempo dura a queca ideal? Ou seja quantos minutos são necessários para ambos atingirem o orgasmo, na tal queca ideal. Essa é uma pergunta que alguns amigos me fazem com frequência.
- André, tu que és o especialista, diz lá quanto tempo é que as gajas levam para atingir o orgasmo? Diz o Mário, acrescentando: Para mim é fácil, independente da gaja, dou três ou quatro bombadas e venho-me.

Muitos homens ainda não se adaptaram os novos tempos. Antigamente elas basicamente abriam as pernas e deixavam o homem gozar, sem stress, podia levar um ou vários minutos. Pouco importava. O resultado era o mesmo; ele gozava plenamente, ela assim-assim, ou nada.
Pois, os tempos mudaram. Elas agora exigem, e bem, satisfação plena premiando quem é competente.
As mulheres são um pouco mais “lentas”, precisão de mais tempo para atingirem o orgasmo. Daí a importância dos preliminares. E depois há aquelas que por muito que gozem, por algum motivo, nunca atingem o orgasmo ou nunca se satisfazem. O que leva a alguns cépticos apelidarem o orgasmo feminino de ficção. Sou céptico, mas não tanto…

Voltando a questão, penso que não há um tempo ideal. Depende de várias coisas, mas para mim o ponto-chave é a intensidade e a capacidade de sentir o parceiro (a). A experiência no homem é fundamental. O tempo da duração não é importante, já tive grandes momentos em cinco minutos, como já tive em longos minutos. Se for necessário aguento horas sem me vir, tenho a capacidade de só ejacular quando quero… Ao contrário de muitos homens, a mim o que me dá mais prazer é o “percurso” e não “destino” isso dá-me a capacidade de sentir bem a parceira e desfrutar melhor o momento. Ao contrário de muitos que logo que penetram a mulher, já estão a pensar em vir… claro que o resultado, para a mulher fica longe de ser satisfatório.
Quanto a queca ideal. Não existe, nem o tempo que deve durar. Existem situações em que duram três, quatro minutos.
Por exemplo, num elevador, não há tempo para mais, no entanto a intensidade da situação em si pode levar atingirem ambos a satisfação plena.

- O melhor cartão de visita de um homem é ser competente em qualquer situação. Saber dar uma boa geral a uma mulher é uma boa recomendação para toda a vida.

publicado por sufer às 23:41
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Quarta-feira, 18 de Julho de 2007

A importancia do broche...

(…) Uma boa mamada é meio caminho para uma bela queca. Tem de ter ritmo, sentido de “gaita” e muito lubrificação. Ela era mestre na arte de mamar! Em pouco tempo deixou-me em ponto de bala (…)
Sara, 21 anos. Em Diário do Libertino.

É uma pena mas a maioria das gajas não sabe fazer uma boa mamada, ou não sabe o quão importante é. Dão muita importância ao acessório em vez de irem ao principal. Ou seja quando se vêem com o dito cujo nas mãos, esfregam-no na cara e dão leves beijos na “cabecinha”. Depois mais uns beijos à volta, lá calham um ou outro nos testículos (bónus), tudo isso com um sorriso e um olhar maroto como se fossem especialistas em broches. Das duas uma ou o defeito é do “professor”, aquele que as iniciou, ou lêem muitos revistas tipo “Ragazza”.
Gajas esqueçam esses conselhos e concentrem-se no “Zézinho”.
O que é que o Zézinho quer? Calor e muita humidade! Juntando a isso algum ritmo, é só sentirem a gaita, ela diz vos o que quer… É simples. Uma mamada é isso mesmo, mamar. Sempre com ele na boca, podem e devem cuspir no Zezinho. Não há melhor lubrificante que a saliva…a par disso é importante manter o ritmo, com a boca e as mãos. É tempo de perder a vergonha e o medo, o “bicho” não morde. O máximo que pode acontecer é no fim ele cuspir na vossa boca… se isso acontecer é sinal que a vossa “tarefa” foi cumprida com estrondoso êxito!

P. S. Gajos, por favor, ensinem as vossas gajas a mamar é um favor que fazemos uns aos outros…

publicado por sufer às 20:17
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 17 de Julho de 2007

Sexo com um estranho!?

A revista Visão publica um estudo interessante, que confirma aquilo que penso á anos: A mulher portuguesa está cada vez mais liberal. O referido estudo diz que 50% das mulheres portuguesas admitem ter tido sexo com estranhos e numa só noite… Tipo conheceu o gajo nessa noite, numa discoteca e no fim da noite PIMBA! Na tua ou na minha casa? Até pode ser no carro ou num motel. E há as mais afoitas: na casa de banho da referida discoteca ou bar… dá uma tesão!
Não era preciso fazer o tal estudo, quem como eu, está habituado a “sacar” uma gaja por semana, sabe que as gajas estão doidas por nos comer! Sobretudo a nova geração de mulheres, é mais desinibida e atrevida. Pretendem ter o mesmo comportamento que os homens, saem a noite com o objectivo de ter sexo e sem compromissos. O que para elas, na minha modesta opinião, é mau. Homens e Mulheres têm morfologias diferentes, sendo que a promiscuidade penaliza mais a mulher, fisicamente falando. Além do que, quando a mulher entra nesse ciclo “quando mais melhor” dificilmente sai dele, ou seja não se contenta que o que tem e entra numa busca permanente do próximo…
É muito mais fácil, se não fores um “tosco”,sacar uma gaja hoje do que á 10 anos atrás.
Como homem “predador” aplaudo essa nova mentalidade feminina, não me importo que elas me “comam”. A oferta é tanta que me dou ao luxo de recusar certas gajas, sim um homem tem de ter critério e não é qualquer uma que socializa com o Zézinho…
Viva a abundância e que sejam muitas mais no futuro.A revista Visão publica hoje um estudo interessante, que confirma aquilo que penso á anos: A mulher portuguesa está cada vez mais liberal. O referido estudo diz que 50% das mulheres portuguesas admitem ter tido sexo com estranhos e numa só noite… Tipo conheceu o gajo nessa noite, numa discoteca e no fim da noite PIMBA! Na tua ou na minha casa? Até pode ser no carro ou num motel. E há as mais afoitas: na casa de banho da referida discoteca ou bar… dá uma tesão!
Não era preciso fazer o tal estudo, quem como eu, está habituado a “sacar” uma gaja por semana, sabe que as gajas estão doidas por nos comer! Sobretudo a nova geração de mulheres, é mais desinibida e atrevida. Pretendem ter o mesmo comportamento que os homens, saem a noite com o objectivo de ter sexo e sem compromissos. O que para elas, na minha modesta opinião, é mau. Homens e Mulheres têm morfologias diferentes, sendo que a promiscuidade penaliza mais a mulher, fisicamente falando. Além do que, quando a mulher entra nesse ciclo “quando mais melhor” dificilmente sai dele, ou seja não se contenta que o que tem e entra numa busca permanente do próximo…
É muito mais fácil, se não fores um “tosco”,sacar uma gaja hoje do que á 10 anos atrás.
Como homem “predador” aplaudo essa nova mentalidade feminina, não me importo que elas me “comam”. A oferta é tanta que me dou ao luxo de recusar certas gajas, sim um homem tem de ter critério e não é qualquer uma que socializa com o Zézinho…
Viva a abundância e que sejam muitas mais no futuro.

publicado por sufer às 23:29
link do post | comentar | favorito
Sábado, 14 de Julho de 2007

Sexo por amor...

Diziam os antigos e a generalidade dos psicólogos de hoje confirmam, que nas relações entre sexos “A mulher dá sexo em busca de amor e o homem oferece amor em busca de sexo”. A ser valida, esta afirmação, encerra uma aparente contradição: Era suposto a mulher ser mais sofisticada, ter um pensamento mais complexo e ardiloso, mas no entanto nesta afirmação surge com um pensamento bastante prático; oferece sexo procurando alcançar o amor… É por isso que as melhores amantes, no sentido mais puro do termo, são as que melhor conseguem fidelizar os seus homens.
Já os homens tidos como básicos, com um pensamento muito pratico e objectivo. Ou seja pouco elaborado, ao contrario do que a afirmação diz; oferece amor para receber sexo. De facto trata-se de um comportamento ardiloso aparentemente mais próprio do universo feminino.
Todavia em ambos os casos aplica-se a velha máxima: Os fins justificam os meios…

publicado por sufer às 16:15
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 9 de Julho de 2007

Sexo, amizade e net

Acho piada a esta cena da net, a sério. Anda meio mundo a enganar a outra metade e vice-versa. Um amigo diz que sou um céptico, eu chamo-lhe a duvida metódica… Isto tudo a propósito das amizades virtuais. Antes de mais devo dizer que não acredito na amizade entre sexos, muito menos virtual. Até acho piada as gajas que dizem: “O meu melhor amigo é homem…” “Pois, ou és um trombolho ou então boa demais!” De qualquer forma na primeira fraqueza, o teu melhor amigo traça-te! Se for mesmo Homem... Mas adiante. Andam todos, na net, a procura de novas amizades… são todos muito felizes e só querem é mesmo “conversar”. Como se isso fosse possível na net. Se querem mesmo conversar comecem em casa, depois estendam essa conversa aos vizinhos, amigos e colegas. Estamos no verão, convide um (a) colega para tomar algo, de preferência com álcool, numa esplanada a beira-mar ou rio. Vai ver que a conversa é muito mais agradável. Enfim é uma conversa… ou algo mais. Deixe-se levar, pela imaginação, mas com coisas palpáveis… esqueça o virtual.
“O sonho comanda a vida” Diria o poeta. Mas citando Freud, para quem não sabe é o “pai” da psicanálise, o sexo comanda-nos a Todos.
E aí chegamos ao ponto. O “negócio”, como diriam os brasileiros, é mesmo sexo! É evidente que todos fingem que só querem amizade.
Imaginem o marido que vê o perfil da mulher na net: “Procuro sexo…” F*** o homem passa-se! Agora se estiver “Procuro novas amizade” Epá, o gajo até acha bem. A mulher deixa de o chatear com “aquelas mariquices” e o gajo fica só com o sexo, a melhor parte! Entretanto, também ele vai coleccionando umas “amigas” na net.
Resumindo a “amizade” é só o pretexto para mais sexo… Não há mal nenhum em assumir isso, existe alguma coisa melhor? Ainda não inventaram… é por isso mesmo que estamos aqui. Até acho mormal que numa sociedade como a nossa se tente disfarçar; “ah e tal é só amizade…” Mas por favor não exagerem! De tão polidos serem perdem o “brilho”.
Façam como eu, digam sempre ao que vão…
publicado por sufer às 20:16
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 6 de Julho de 2007

A mamada como ela é...

"Conheci a Isabel na net, num site de encontros. Um homem tem de se modernizar e a net, para quem tem experiência no engate face-to-face, é um filão: Funciona tipo um catalogo, vês as fotos e analisas o perfil, descontadas as tangas é só seleccionar. Depois com um pouco de arte, não muita, a maioria embora não admita procura o mesmo; sexo fácil. Uma semana de “conversa” na net é suficiente para marcar um encontro. A expressão “amor á primeira vista” hoje em dia deve ser lida como “Sexo á primeira vista”, assim é na net e no dia-a-dia.
Nos últimos anos faço em média quinze engates por ano na net e tudo material de primeira, custa a entender como mulheres tão boas e jovens recorrem á net para ter sexo. Mas para mim quantas mais melhor, embora a maioria das minhas conquistas sejam face-to-face, dá mais pica, não rejeito as boas coisas que a net oferece.


Combinamos ao fim da tarde no Lais de Guia em Matosinhos, quando cheguei já ela esperava por mim na esplanada. Mais bonita do que nas fotos que enviara.
- Olá Isabel. Disse enquanto a beijava na face.
- Oi André. Respondeu como se fossemos velhos amigos.
No horizonte os últimos raios de sol despediam-se do dia num bailado suave sobre as aguas calmas do mar.
Bebemos um chá, falamos sobre nós e saímos de mãos dadas ao fim de meia hora. Sabíamos ao que vínhamos e o desejo falava mais alto. Paramos junto ao meu carro e aí nos beijamos pela primeira vez, um beijo longo e excitante. As minhas mãos correram o seu belo corpo antes de se fixarem no rabo. Ela riu como a minha erecção.
- Não perdes tempo. Disse ela.
- A culpa é tua… Vamos para um sítio mais reservado. Respondi.
- Para minha casa. Disse ela.

Seguimos para sua casa, ela ao meu lado no carro, agarrou na minha mão e como um sorriso malicioso coloco-a no meio das suas pernas.
- Aqui está mais quente. Disse, estava um dia frio de Inverno.
Não respondi, apenas sorri. Sentia o calor das suas coxas na minha mão. Subíamos a circunvalação em direcção a São Mamede de Infesta, onde ela morava. Já estava escuro e caía uma ligeira chuva. Agarrei na sua mão e pus no meu sexo já em fase de descolagem. Ela sorriu agradecida enquanto o apalpava.
- Podes tirar para fora. Disse para ela enquanto me concentrava na condução, reduzindo a velocidade.
Ela solícita tirou-o para “fora” e começou a trabalhar com as mãos. Depois não resistiu e inesperadamente mergulhou com a boca sobre o meu pénis mamando com vigor.
- Adoro chupar um bom caralh* . Disse enquanto punha na boca um rebuçado de mentol.
- Isso, mama. Respondi excitado com a perspectiva de uma mamada enquanto conduzia.
Ela chupava com arte, lubrificava bem e engolia tudo, a frescura do mentol na minha “cabecinha” deixava-me ainda mais doido de tesão. Desliguei por completo, esqueci a estrada o caminho, os outros condutores. Só sentia aquela boca quente a deslizar no meu pénis. Estava prestes a vir. Ela sentiu os meus músculos a contrair e mamou com mais vigor. Tinha de gozar na sua boca, era uma pena não o fazer. Relaxei e deixei-me vir. Ela sugou tudo até a ultima gota. Que delicia de mamada! Só por isso já tinha valido a pena a conhecer.
Há mulheres que sabem e gostam de nos testar levando nos ao limite..."
(...)

tags:
publicado por sufer às 12:53
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Fevereiro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28

.posts recentes

. Matilde, 23 anos (continu...

. A Joana

. A Stella, 19 anos...

. Amor e Sexo...

. Sexo no Trabalho?! Sim, o...

. Carta de Amor

. A queca ideal...

. A importancia do broche.....

. Sexo com um estranho!?

. Sexo por amor...

.arquivos

. Fevereiro 2011

. Agosto 2008

. Junho 2008

. Abril 2008

. Setembro 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds

Em destaque no SAPO Blogs
pub