Sábado, 1 de Setembro de 2007

Carta de Amor

Carta de Amor...

Querido! Encontrei-te e perdi-me, sinto e digo coisas que jamais pensei e desconhecia…Desejo a cada instante ver-te, ouvir-te, sentir-te… Adorava partilhar contigo o meu amor, a minha felicidade, o meu corpo, a minha alma, os meus pensamentos, as nossas alegrias e tristezas.

Quero te dizer também que foste o único homem que mexeu comigo, sem me precisar tocar…
A tua voz entrou e não saiu do meu pensamento, tocou em algo muito profundo, invadiu-o mesmo na totalidade e promete transformar tudo, eu cedo, pois as forças físicas são menores do que o amor, pela primeira vez estou a deixar este tomar decisões, posso-me magoar, posso-me destruir, posso sufocar, mas não posso perder a oportunidade de ser eternamente feliz…

Provei-te, saboreei aquilo que a muito procurava, o amor, o desejo o prazer… perdi-me ao encontrar estes sentimentos, quero que este sabor seja eterno e que ninguém, nem mesmo o tempo, destrua a fruta mais simples, mas também a que mais prazer me deu saborear!

Amor! Onde estou neste momento não é possível observar o céu, mas também não é importante, com turbulência ou não, a verdade é que contigo conheci o amor e este continua a permanecer, espero, eterno, independentemente do seu aspecto no meu coração… Amar é uma sensação estranha, nova, é desejar, sentir que o nosso pensamento foi invadido por algo tão forte, que comanda tudo, não me consigo concentrar, penso em ti, como se o mundo só a ti se resumisse… Amo-te!

Quando tenho a sensação, que se te perco, perco tudo aquilo que procurei, e quando não procurava alguém me mostrou, que se pode amar e ser amada se pode desejar e ser desejada…
Nunca te esqueças de quem jamais se esquecera de ti, os anos estes passam, mas o nosso amor jamais será passado, será sempre presente e futuro!

Um beijo, de quem
Te ama muitíssimo,
Mais que muitíssimo.

Tua Xana

P. S. Cartas de Amor, escritas à mão em papel e não no computador em e-mail... por vezes ao abrimos essas cartas ainda sentimos o perfume de quem escreveu, vemos a intensidade, na letra, e o carinho que colocaram nessa escrita; flores e corações... felizmente sou desse tempo, conservo dezenas de cartas, guardo-as religiosamente, são intemporais... são um bocado de nós e muito de quem as escreveu...

tags:
publicado por sufer às 13:21
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Fevereiro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28

.posts recentes

. Matilde, 23 anos (continu...

. A Joana

. A Stella, 19 anos...

. Amor e Sexo...

. Sexo no Trabalho?! Sim, o...

. Carta de Amor

. A queca ideal...

. A importancia do broche.....

. Sexo com um estranho!?

. Sexo por amor...

.arquivos

. Fevereiro 2011

. Agosto 2008

. Junho 2008

. Abril 2008

. Setembro 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds

Em destaque no SAPO Blogs
pub